Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar sua experiência. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Privacidade para saber mais.

Qual é o futuro da tecnologia da informação em saúde?

Qual é o futuro da tecnologia da informação em saúde?

Os últimos anos foram de transformadores para a área de TI (tecnologia da informação). Essa renovação acaba impactando o desenvolvimento de setores como a construção, economia e a saúde. Desta maneira, é possível notar que o futuro da tecnologia da informação em saúde transformou diversos setores desta área.

Considerando o cenário atual, a perspectiva é que avanços como a Internet das Coisas (IoT) e Inteligência Artificial (IA), assim como outros, atuem em suas maiores vertentes, auxiliando a melhoria em atendimento, diagnóstico, procedimentos, tratamentos, e mais.

As novas tecnologias têm impacto direto também na gestão em saúde, permitindo que as operações de saúde passem a ser mais integrais. Isso é, conseguem estabelecer a comunicação efetiva entre players e instituições, permitindo que essa transparência na operação dos sistemas influencie o paciente.

Quer saber mais sobre este assunto? Então, continue a leitura para conferir qual é o futuro da tecnologia da informação em saúde!

O futuro da tecnologia da informação em saúde

O futuro da tecnologia da informação em saúde

 A evolução na medicina têm contribuído para mudanças e melhorias na vida não só dos pacientes, mas também de estudantes e profissionais. O cuidado com a saúde era resumido no passado em consultas, exames clínicos e laboratoriais e intervenções. 

Contudo, o futuro da tecnologia da informação em saúde leva a assistência a um novo patamar, possibilitando diagnósticos cada vez mais precisos, assim como procedimentos e tratamentos personalizados, que contribuem para a saúde e bem-estar do paciente.

É por meio de tecnologias, da informação e também da comunicação, que os processos se tornam cada vez mais rápidos. Dessa maneira, podemos afirmar que os estes avanços na medicina são o futuro da tecnologia da informação em saúde.

Benefícios da tecnologia da informação em saúde

Benefícios da tecnologia da informação em saúde

Os recursos considerados o futuro da tecnologia da informação em saúde trazem agilidade para a produção, armazenamento, acesso de dados clínicos e transmissão. O que anteriormente era feito de forma manual, já não é mais necessário.

Com a tecnologia atual, é possível inserir informações em sistemas de software, operar equipamentos, produzir peças, e muito mais. Exemplos amplamente conhecidos, temos a implantação do prontuário eletrônico, tecnologias minimamente invasivas, e emissão de laudos à distância.

A facilidade oferecida pelas práticas que representam o futuro da tecnologia da informação em saúde impressionam desde os profissionais mais conectados a essas possibilidades até aqueles mais reticentes. O objetivo dessa inserção de tecnologia em saúde é garantir resultados mais precisos, aproximando o médico clínico do paciente, estabelecendo uma relação terapêutica que seja mais duradoura.

Exemplos que representam o futuro da tecnologia da informação em saúde

Exemplos que representam o futuro da tecnologia da informação em saúde

Vemos nos dias atuais as inúmeras possibilidades, benefícios e recursos que o futuro da tecnologia da informações em saúde proporciona a essa área. No Brasil, as facilidades trazidas por esse novo sistema são utilizadas em diferentes frentes da medicina. Confira as principais, a seguir.

Telemedicina

A telemedicina é um dos avanços que representa o futuro da tecnologia da informação em saúde. Sua aplicação na área médica utiliza infraestrutura de telecomunicação para a transmissão de dados. Dessa forma, as informações são usadas para medidas preventivas e assistenciais, que podem variar desde o esclarecimento de dúvidas até o atendimento médico em locais que contem com pouco recurso. 

Da mesma forma, a telemedicina contribui para que profissionais tenham uma segunda opinião por meio de videoconferência e emissão de laudos à distância, sendo um grande diferencial no momento atual, em que a pandemia causada pela Covid-19 exige o distanciamento social.

Business intelligence

Em instituições como hospitais e clínicas, o uso de diversos sistemas é comum, principalmente sem estarem integrados. O business intelligence (inteligência de negócio, em inglês) é outro exemplo do futuro da tecnologia da informação em saúde.

Essa ferramenta é voltada à consolidação de informações que oferecem novas visões. Entre as soluções possíveis, estão o monitoramento do desempenho dos profissionais nas unidades, análise da qualidade do atendimento e também de exames, tudo isso pelo mesmo sistema.

Internet das Coisas (IoT)

A Internet das Coisas (do inglês Internet of Things), é outra realidade para a medicina no futuro da tecnologia da informação em saúde. Ela possibilita que ocorra a interação de diferentes dispositivos médicos em uma rede de comunicação, permitindo a troca e coleta de informações.

Os dispositivos móveis podem ser conectados em outros aplicativos de modo a obter dados sobre o corpo, como os smartwatches, por exemplo. As soluções da Internet das Coisas são também aplicadas na prática da telemedicina, como forma de conectar aparelhos analógicos às plataformas.

Dessa maneira, é possível realizar o envio de exames de forma direta, sem que seja necessário a digitalização, ou mesmo uploads manuais. Esse destaque no futuro da tecnologia da informação em saúde pode ser usado em equipamentos.

Um exemplo é o bisturi que permite aos especialistas buscar tecidos comprometidos enquanto realizam o procedimento cirúrgico. Assim, pode ser de grande auxílio na retirada precisa de um tumor. Com materiais como esse, o tecido pode ser cauterizado durante a cirurgia. Além disso, a fumaça emitida pode ser coletada e enviada para um espectrômetro, responsável por realizar a análise química. O aparelho pode apontar, a partir da composição da fumaça, se o tecido é saudável ou cancerígeno.

Nanorobótica

Apesar de já ser usada há alguns anos, a nanorobótica representa o futuro da tecnologia da informação em saúde. Tecnologia que consiste na utilização de nanorobôs, a nanorobótica auxilia em tratamentos para o câncer, aterosclerose, infecções e também para a realização de exames de outras patologias. 

Além disso, a nanorobótica é usada como forma de distribuir medicamentos em regiões específicas do organismo, permitindo a potencialização do tratamento e identificando células patológicas, como nos casos de tratamentos oncológicos. 

Dispositivos wearables

Os dispositivos wearables (vestíveis, em inglês) também consistem no futuro da tecnologia da informação em saúde. São itens de vestuário usados no auxílio de profissionais e leigos para a captação e compartilhamento de informações.

Por meio desse mecanismo, é possível captar e armazenar dados relacionados ao sono, pressão arterial, frequência cardíaca, entre outros. Entre seus maiores benefícios está a interação do corpo com o dispositivo wearable, garantindo o registro de informações de maneira autônoma e em tempo real. 

Assim, o próprio usuário pode ter papel ativo no cuidado de sua saúde. Essa alternativa beneficia médicos e outros profissionais da saúde que utilizam as informações registradas como apoio ao diagnóstico, tratamento e condutas para a prevenção. Por serem portáteis e vestíveis, os dispositivos já se mostram muito populares, sendo uma grande promessa para o futuro da tecnologia da informação em saúde. 

Prontuário eletrônico

O prontuário médico eletrônico, também conhecido como PEP (Prontuário Eletrônico do Paciente), é o documento digital que permite o armazenamento de todos os registros médicos de uma pessoa, durante toda sua vida.

Outra ferramenta que representa o futuro da tecnologia da informação em saúde, o prontuário tem capacidade de reunir, em um único lugar, informações variadas desde desde o nascimento até o óbito de uma pessoa.

Seu uso faz parte da realidade em instituições presentes em grandes centros, visto que é atualmente permitido e regulamentado pelo CFM (Conselho Federal de Medicina). Uma das exigências deste órgão é a disponibilização dos dados quando solicitados pela própria pessoa, ou mesmo por seu representante legal.

O prontuário eletrônico surgiu como alternativa para prontuários antigos, feitos em papel. O modelo físico, totalmente manual, torna difícil a possibilidade de acompanhamento constante, assim como apresenta o risco de sofrer danos, como apagar, extraviar, rasgar, molhar ou queimar os documentos, ações que comprometem dados importantes dos pacientes. 

Além dos riscos apresentados, realizar a atualização manual a cada consulta, muitas vezes acaba provocando a omissão ou erro de informações que poderiam ser fundamentais no futuro, seja na hora de receber diagnósticos, realizar pedidos exames, ou mesmo em evitar reações alérgicas do paciente. Dessa forma, as possibilidades oferecidas por ferramentas digitais representam o futuro da tecnologia da informação em saúde, com a possibilidade de centralizar todo o prontuário em meio eletrônico.

Na prática, o processo de modernização enfrentado foi o mesmo das prescrições eletrônicas. Atualmente, o profissional pode prescrever e obter tratamentos por meio da tecnologia, facilitando a vida do paciente, otimizando o trabalho das farmácias e oferecendo vantagens para outros profissionais e consultórios. 

Certificação digital

O certificado digital é um arquivo de computador que identifica uma pessoa, seja ela física ou jurídica, no mundo digital. De acordo com o Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI), o “certificado digital é um documento eletrônico com nome, número público exclusivo denominado ‘chave pública’ e muitos outros dados que mostram quem somos”. Sendo a chave pública uma maneira de validar a assinatura realizada em documentos eletrônicos, o certificado digital é outro exemplo do futuro da tecnologia da informação em saúde.

Impressoras 3D

As impressoras 3D têm se popularizado também na área da medicina. Com estudos envolvendo essa prática da tecnologia na saúde, os avanços são cada dia mais constantes, tornando essa outra solução do futuro da tecnologia da informação em saúde.

As impressoras 3D são caracterizadas como máquinas capazes de fabricar próteses, equipamentos médicos, e até mesmo medicamentos. Em um futuro não muito distante, espera-se que essas máquinas sejam capazes de construir órgãos de maneira personalizada para aqueles pacientes que aguardam por um transplante. 

Ou seja, as impressoras 3D fazem parte também do futuro da medicina regenerativa. Afinal, acredita-se que elas poderão criar tecidos com vasos sanguíneos, ossos, válvulas cardíacas, pele sintética e mais. Esse poderá ser um dos maiores avanços da medicina, portanto, é parte do futuro da tecnologia de informação em saúde.

Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial é um dos temas mais abordados na área médica atualmente, com pesquisas que envolvem a tecnologia caminhando a todo vapor. A Inteligência Artificial é o futuro da tecnologia da informação em saúde, pois é capaz de desenvolver dispositivos para simular certas características e ações humanas. 

Estes dispositivos, por sua vez, pode mensurar e também executar determinadas tarefas. A invenção do algoritmo desenvolvido pela IBM, chamado Watson, é um importante avanço da tecnologia na medicina, envolvendo a Inteligência Artificial, que temos como exemplo.

O algoritmo Watson foi criado como forma de auxiliar profissionais, desenvolvedores, empresas e startups na construção de sistemas cognitivos que possam ajudar a melhorar ações, processos, e interações. O objetivo para o desenvolvimento do Watson foi auxiliar no tratamento do câncer.

Por meio dele, é possível ter indicações de tratamentos, com apresentações de evidências científicas para isso. Da mesma forma, o grau de risco e efeitos colaterais possíveis que podem ser desenvolvidos também são apontados. Ou seja, o algoritmo auxilia o profissional no momento que envolve a tomada de decisão, e ainda oferece embasamento científico para sua escolha.

Robótica em cirurgias

Também faz parte do futuro da tecnologia da informação em saúde o uso da robótica em cirurgias. Isso porque, atualmente a medicina conta com robôs capazes de realizar cirurgias de forma precisa e segura por meio da cirurgia robótica assistida.

Com essa prática em que os robôs atuam por intermédio do profissional, é possível aumentar a habilidade do especialista permitindo o desenvolvimento de procedimentos menos invasivos. Em um estudo que observou a utilização de robôs em cirurgias cardíacas, constatou-se que diante dos 8 pacientes que se submeteram a angioplastia, nenhum apresentou intercorrências.

A performance dos procedimentos igual foi vista como igual, ou melhor, aos realizados tradicionalmente por profissionais da saúde. Além disso, também foi observado que a eficiência da cirurgia robótica necessita de um período menor de recuperação.

Na leitura de hoje, você pôde entender a importância dos avanços na medicina, conhecendo as principais ferramentas e estratégias que fazem parte do futuro da  tecnologia da informação em saúde. Ainda que pareçam complexas, quando implantadas de forma efetiva, garantem inúmeros benefícios para pacientes, profissionais e também para as instituições.

Gostou das informações deste conteúdo? Então, veja também qual a melhor escolha para software para clínicas e consultórios!

Gostou do texto? Não gostou? Comente abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *