Choque de gerações: como é a diferença de idade na medicina?

A atuação competente em um segmento tão complexo quanto é a área de saúde demanda não apenas atualizações constantes, mas também um forte compromisso em compreender os avanços da tecnologia. Dentro desse contexto, não é difícil perceber que existe uma espécie de choque de gerações entre os profissionais do ramo.

O fato é que entender a diferença de idade na medicina e as maneiras pelas quais isso impacta médicos mais velhos e mais jovens é fundamental para conseguir um melhor ambiente de trabalho e unir a equipe em prol do que mais importa: os pacientes.

Confira este post e aprenda um pouco mais sobre o tema. Boa leitura!

O choque de gerações no ambiente corporativo

Em qualquer segmento do mercado, é muito comum perceber que existe, eventualmente, uma espécie de choque de gerações, uma vez que para unir talentos e profissionais de alta qualidade, é preciso contar com pessoas de várias idades. O grande segredo para ter sucesso, portanto, é saber como lidar com esse problema.

Sobretudo na área da medicina, com a constante entrada de médicos jovens, há uma espécie de revolução no setor e isso pode ocasionar confrontos com clínicos mais experientes, que estão habituados com outras metodologias. Sendo assim, o gestor inteligente não pode abrir mão de boas estratégias para superar essa adversidade.

Diferenças entre médicos antigos e jovens

Uma das principais diferenças entre os médicos antigos e jovens, que também pode causar uma espécie de choque de gerações entre os profissionais do ramo, diz respeito à forma pela qual eles registram as informações dos seus pacientes. Enquanto os mais experientes estão acostumados com o registro em folhas, novatos não abrem mão da tecnologia.

Médicos de tempos passados ficavam às voltas com calhamaços de papéis em suas mesas, afinal, era ali que eles anotavam dados relevantes sobre o exame físico e a anamnese, o histórico de patologias, os resultados de exames, transcreviam suas receitas ou outros detalhes importantes, além de agendar os retornos.

Já a modernidade fez com que os mais jovens buscassem outras opções para realizar as mesmas tarefas, e esse é justamente o caso, por exemplo, dos prontuários eletrônicos, que são recursos que agilizam a rotina e a gestão da clínica, melhorando a produtividade, acelerando os atendimentos e minimizando as chances de erros.

O mesmo ocorreu com o quesito agenda, pois anotar telefones também é algo fundamental para empreender e ter sucesso na área de saúde. Mais uma vez, os caderninhos ou bloquinhos deram espaço para uma opção mais moderna, que fez com que essa prática pudesse ser realizada também por um app no smartphone, mais rápido e eficiente.

Ao optar pela tecnologia, os médicos jovens ganham tempo e, até mesmo, espaço, visto que tudo pode ficar centralizado em um ou dois gadgets, como computadores, notebooks, netbooks, tablets e smartphones, estando em total consonância com o conceito de computação em nuvem para guardar tudo aquilo que for considerado relevante.

Outra diferença importante está na utilização das redes sociais. A geração mais atual já nasceu lidando com esse tipo de mídia e tem mais traquejo, não apenas com perfis pessoais, mas também com a criação de Fanpages ou outras modalidades de divulgação nesses canais de comunicação, que já é algo assimilado pela nossa sociedade.

Lidando com o choque de gerações

Agora que você já entendeu um pouco mais sobre alguns dos principais atritos entre médicos antigos e jovens, chegou a hora de aprender como um gestor pode administrar esse problema, fazendo com que a clínica ou o consultório funcione em total harmonia, em prol dos pacientes. Veja a seguir algumas dicas.

Incentive o diálogo

O primeiro passo para lidar bem com o choque de gerações é, obviamente, incentivar o diálogo entre esses profissionais. Sabe-se que é algo completamente crucial, visto que a troca de ideias é uma das bases do funcionamento da medicina, além disso, os locais que formam grupos de trabalho com pessoas de perfis diferentes costumam ter mais sucesso.

É interessante, de certo modo, relevar ou, até mesmo, eliminar os empecilhos causados pela hierarquia, uma vez que, ao menos em teoria, os mais velhos tendem a ocupar os cargos mais elevados. Ainda assim, eles devem usar sua experiência para acolher os mais novos, sem deixar de compreender que também podem aprender com eles.

Valorize as diferenças

Outra dica importante é valorizar as diferenças entre os profissionais que estão atuando na mesma equipe ou empresa. Para fazer isso, é preciso compreender que essas pessoas não estão em lados opostos, mas sim em um mesmo time. O valor da individualidade está justamente em complementar o que falta nos outros.

Se um médico mais jovem tem, por exemplo, muitos conhecimentos do ponto de vista da tecnologia e maior apreço por um perfil arrojado, que não abre mão de correr riscos, os mais antigos podem contribuir com mais cautela e decisões estratégicas, sem deixar de se manter em movimento, se atualizando em consonância com o mundo.

Implemente avaliações completas

Não é preciso discorrer sobre a importância de manter feedbacks constantes para o sucesso de empresas de qualquer segmento do mercado. No entanto, uma avaliação mais simplista tende a ser muito superficial e a tendência é que isso acaba contribuindo muito menos do que você gostaria para o triunfo da sua clínica ou consultório.

Sendo assim, não hesite em aplicar uma metodologia mais completa, que permita a análise de indicadores de desempenho, fazendo com que pares ou, até mesmo, os subordinados também meçam uns aos outros, além dos seus superiores. Isso pode contribuir consideravelmente para identificar as áreas que estão afinadas e quais são os pontos de melhoria.

Como você pôde observar, existe mesmo uma espécie de choque de gerações entre os profissionais do ramo da saúde, mas isso não quer dizer que eles não conseguem trabalhar juntos. Com um pouco de estratégia e algumas ações específicas, é possível superar essa barreira e usar isso em favor do negócio, pavimentando sua trilha para o sucesso!

Gostou do post? Então, deixe um comentário e diga o que você pensa sobre o assunto!

Gostou do texto? Não gostou? Comente abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *