Telemedicina: como atender pacientes remotamente em tempos de pandemia

Telemedicina: como atender pacientes remotamente em tempos de pandemia

Com objetivo de reduzir a propagação do novo coronavírus e proteger as pessoas da covid-19, o Ministério da Saúde publicou uma portaria para regulamentar os atendimentos médicos à distância, ou seja, liberou a prática da telemedicina durante o período de pandemia.

Segundo a medida, que é válida para os atendimentos pré-clínicos, de suporte assistencial, consultas, monitoramentos e diagnósticos, o atendimento deverá ser feito diretamente entre médicos e pacientes, por meio de uma tecnologia que garanta o sigilo e a segurança das informações. Valendo tanto para a rede privada, quanto para os diagnósticos no Sistema Único de Saúde (SUS).

Se você quer entender melhor sobre o que é a telemedicina, como realizar consultas médicas à distância e como otimizar o atendimento remoto ao paciente, continue a leitura com a gente! 

O que é telemedicina

O que é telemedicina

De forma objetiva, podemos definir a telemedicina como toda prática médica realizada à distância. Bastante utilizada em países da Europa, Canadá e Estados Unidos, esta prática começa a avançar no Brasil devido a necessidade causada pela pandemia do novo coronavírus.

A telemedicina teve início na década de 1950 com o objetivo de levar atendimento médico à pacientes em locais remotos. Naquela época, haviam poucos recursos tecnológicos e o telefone era o principal meio de contato entre os médicos e os pacientes. Com o avanço da tecnologia e dos meios de comunicação, hoje podemos contar com recursos que tornaram as consultas mais práticas, como é o caso dos aparelhos smartphones, computadores e tablets. E, claro, sem deixar de lado a internet que se torna a cada dia mais acessível à população mundial.

Justamente devido a essa expansão da internet, no Brasil, a telemedicina teve início da década de 1990. Desde então, acompanhando esta grande tendência mundial, instituições e órgãos regulamentadores do país vêm trabalhando para ampliação deste tipo de atendimento. Mas você sabe em quais frentes a telemedicina se aplica?

Como as consultas são realizadas por meio da telemedicina

Como as consultas são realizadas por meio da telemedicina

Como dissemos acima, a telemedicina envolve as práticas médicas realizadas à distância. Mas quais práticas são essas? Podemos considerar qualquer tipo de prática médica?

Para que você possa entender melhor vamos explicar à você quais são as principais subdivisões da telemedicina. Acompanhe! 

Teleconsulta

A teleconsulta é uma das modalidades da telemedicina em que a consulta médica, com o suporte de recursos tecnológicos, é realizada à distância. Devido ao fato dos profissionais da saúde não precisarem estar no mesmo local que os pacientes para atendê-los, este tipo de prática vem sendo incentivada durante a pandemia da covid-19. Resguardando assim, tanto a saúde dos pacientes, quanto dos profissionais que realizam o atendimento médico.

A teleconsulta também pode ser realizada entre médicos, como por exemplo, quando um profissional clínico geral precisa do suporte de um médico especialista – seja para ter uma segunda opinião sobre um caso ou obter orientações específicas.

Teleassistência

O foco da teleassistência está no acompanhamento do paciente. O médico ou profissional da saúde monitora o paciente onde quer que ele esteja e, para aumentar a eficiência da assistência, em alguns casos, equipamentos específicos que avaliam parâmetros clínicos são utilizados para fazer o envio de dados, geralmente, por meio da internet.

Teleducação

Amplamente aplicada nos dias de hoje, a teleducação já é uma realidade em diversos setores. Por meio de videoconferências, aulas, palestras, e-learning e programas de reciclagem, o objetivo principal é capacitar o profissional da saúde que está distante dos principais centros urbanos e prepará-los para as diversidades situacionais da prática médica. 

Emissão de laudos à distância

Uma das frentes da telemedicina que mais cresce no Brasil, a emissão de laudos médicos à distância, facilita o acesso dos pacientes aos melhores médicos do país. Por meio da tecnologia, os exames podem ser realizados em qualquer localidade e ter os laudos criados por qualquer especialista conectado à internet.

Além das quatro subdivisões mencionadas acima, a telemedicina também pode ser utilizada para: 

  • Cirurgias robóticas;
  • Troca de informações entre clínicas e instituições de saúde;
  • Assistência a pacientes de alto risco ou com doenças crônicas;
  • Elucidação de casos clínicos entre médicos, em especial, sobre as doenças raras;
  • Oferecer informações aos pacientes sobre resultados de exames laboratoriais ou de imagens.
Quais são as vantagens da telemedicina

Quais são as vantagens da telemedicina

Para além das vantagens da telemedicina em tempos de pandemia da covid-19, podemos citar inúmeros outros benefícios, sendo o principal deles a possibilidade de quebrar as barreiras da distância física. Por meio da telemedicina, pacientes podem ter acesso à medicina de qualidade e a oportunidade de serem atendidos e acompanhados por profissionais que são referência em suas respectivas áreas – mesmo morando longe de grandes centros urbanos.

O sistema de saúde também pode se beneficiar com as vantagens da telemedicina ao notar a descentralização da assistência médica e a redução da procura por especialistas em hospitais e grandes locais de atendimento, muitas vezes, estes são locais buscados por pacientes desde o início do atendimento.

Para os médicos e os outros profissionais da saúde, além da flexibilidade e gestão de tempo otimizada, outra grande vantagem é a oportunidade de contar com apoio de inúmeros colegas de profissão na hora de tomar decisões e também poderem participar dos melhores programas educacionais, independente da localidade que estejam.

E as vantagens não terminam por aí, ainda podemos citar:

  • A agilidade da entrega e melhoria dos laudos médicos emitidos;
  • A facilitação da realização de exames, já que eles podem ser feitos em clínicas e postos de saúde – conforme a disponibilidade do paciente;
  • A diminuição do deslocamento de pacientes para consultas e acompanhamentos à hospitais e clínicas localizadas em grandes centros;
  • A otimização e facilitação da troca de informações entre os serviços e instituições de saúde;
  • O acesso do paciente aos especialistas e profissionais com referências em suas respectivas áreas;
  • A ampliação do contato e o fortalecimento do vínculo entre os médicos e os pacientes.

A telemedicina é uma forma de ultrapassar barreiras geográficas e fazer com que os serviços de saúde sejam capazes de chegar a toda população. Como dissemos anteriormente, uma série de especialidades médicas podem atender por meio da telemedicina e diversos tipos de exames e laudos podem ser entregues. Confira alguns exemplos:

  • Dermatologia: seguem protocolos específicos, mas com o uso de fotografias são analisadas lesões e possíveis patologias;
  • Oftalmologia: diversos exames podem ser solicitados, um entre os mais comuns é o de acuidade visual;
  • Radiologia geral: uma infinidade de exames podem ser solicitados, como o raio-x, mamografias, tomografias, densitometria óssea, ressonâncias magnéticas, entre outros;
  • Pneumologia: entre os vários exames que podem ser solicitados, os dois mais pedidos são o de espirometria e o teste de bronco-dilatação;
  • Neurologia: os exames neurológicos mais comuns são o encefalograma ocupacional e o eletroencefalograma com mapeamento cerebral;
  • Cardiologia: na cardiologia, os exames mais pedidos são o eletrocardiograma, MAPA da pressão arterial e os registros de Holter.

Os pacientes de hoje em dia são muito mais informados e, por isso, os médicos e  profissionais da saúde precisam se atualizar e fazer uso das novas tecnologias que surgiram para transformar as experiências do atendimento médico de forma geral. E você? Já sabe como otimizar o atendimento remoto ao paciente? Confira a seguir!

Como otimizar o atendimento remoto ao paciente

Como otimizar o atendimento remoto ao paciente

Conforme dissemos acima, os pacientes estão a cada dia mais exigentes e informados e já existe um consenso sobre o que é a medicina do futuro. A medicina do futuro soma o conhecimento médico com a evolução e domínio das tecnologias. E o avanço da telemedicina, em especial em momentos como os de pandemia, é um claro exemplo disso.

Com muito mais efetividade, segurança e oportunidade de desenvolver tratamentos eficazes, a evolução do conhecimento científico e o aprimoramento dos recursos tecnológicos têm o propósito de prever e detectar precocemente o avanço de doenças, evitar sequelas graves e, em alguns casos, minimizar a necessidade de tratamentos mais invasivos.

Antes da pandemia do coronavírus chegar ao Brasil em 2020 e o Ministério da Saúde publicar uma nova portaria no Diário Oficial da União, a telemedicina já era regulamentada pela Lei 1.643 de 2002 e a legislação já assegurava que os serviços prestados via telemedicina deveriam possuir infraestrutura tecnológica apropriada e seguir as normas técnicas do Conselho Federal de Medicina a respeito do manuseio, transmissão de dados, confidencialidade e garantia do sigilo profissional. Além disso, a Lei nº12.842/2013 já reforçava que apenas os médicos poderiam emitir o laudo à distância. Mas você sabe como garantir a segurança e a confidencialidade dos dados dos seus pacientes?

Ao trabalhar com o prontuário do paciente, é preciso garantir que a segurança das informações sejam respeitadas conforme as leis citadas anteriormente e conforme os aspectos éticos que envolvem a prática da medicina e a relação entre médicos e pacientes. Para isso, apresentamos algumas vantagens do uso do prontuário eletrônico do paciente:

  • Por mais que diversos profissionais da saúde possam estar envolvidos em uma operação de atendimento, o acesso ao prontuário eletrônico do paciente só é permitido aos médicos devidamente autorizados e cadastrados por meio de tokens;
  • Os dados sobre a saúde do paciente e últimas consultas possuem fácil acesso, basta ter qualquer tipo de dispositivo conectado a internet, como smartphones, computadores ou tablets;
  • O acesso ao conhecimento científico é atualizado periodicamente, melhorando assim o processo de tomadas de decisões;
  • A ferramenta pode ser utilizada simultaneamente por mais de um profissional da saúde, caso seja necessário;
  • Não existe a possibilidade de perder documentos ou ter que refazê-los, além de reduzir os custos devido a otimização de recursos.

O prontuário eletrônico do paciente permite o armazenamento de um enorme volume de conteúdo referente aos dados sobre os pacientes de forma organizada. O prontuário eletrônico de um paciente que realizou sua consulta há anos é facilmente acessado em poucos segundos e todo o seu histórico pode ser revisitado sem que, para isso, o tempo do médico ou de sua equipe seja desperdiçado. E o melhor? Como dissemos, o acesso pode ser feito de qualquer local e com a segurança necessária relativa a confidencialidade das informações contidas.

Hoje em dia, existem inúmeras ferramentas de automação e gestão de prontuários eletrônicos no mercado. Mas é importante ressaltar sobre a importância de pesquisar se a ferramenta que cogita utilizar garante pontos, como:

  • A integridade dos dados dos pacientes;
  • A disponibilidade, ou seja, o fácil acesso aos arquivos médicos;
  • A confidencialidade e os aspectos éticos e de segurança das informações;
  • A autorização que garante que apenas os médicos responsáveis pela operação poderão acessar, visualizar e alterar os dados sensíveis dos documentos. Negando assim o acesso à quem não tem autenticidade sobre o documento por meio de login e senha;
  • Certificados digitais que garantem uma versão pública e outra privada dos documentos eletrônicos. Evitando assim o acesso inapropriado por funcionários não autorizados.

Uma excelente opção para quem está em busca de todas essas garantias é o Meu Consultório. Trata-se de um software que oferece todas as funcionalidades necessárias para que você seja capaz de atender por meio da telemedicina e possa gerir o atendimento remoto aos seus pacientes. Ele automatiza e personaliza a maioria dos segmentos da gestão de sua clínica, além de auxiliar na melhoria da relação entre os médicos e os pacientes.

O Meu Consultório é uma ferramenta para automação de operações de serviço de gestão, feito para consultórios e clínicas, que permite o registro de informações sobre pacientes e, de forma geral, sobre todas as operações administrativas, de processos, de recursos materiais e de recursos humanos. Tudo isso para garantir a prestação eficiente do serviço de saúde por meio da telemedicina.

Além disso, alguns outros benefícios desta ferramenta podem ser enfatizados, como:

  • Trata-se de um software projetado exclusivamente para o setor da saúde;
  • É capaz de integrar todas as operações clínicas e administrativas do consultório;
  • Os orçamentos são baseados em modelos e escalas padronizáveis;
  • É possível fazer um controle eficiente de inventários;
  • Facilita e organiza a gestão de compras e pagamento de fornecedores;
  • Possui recursos como a contabilidade automática e outras funcionalidades
  • O gerenciamento das informações dos pacientes podem ser ajustadas em tempo real.

As práticas médicas dedicam muito tempo e outros recursos para oferecer um atendimento cada vez melhor. Manter o relacionamento com o seu paciente por meio da telemedicina, especialmente em tempos de pandemia e quarentena, é mais do que apenas garantir a satisfação a respeito daquela consulta específica. É parte de um processo de construção de confiança na relação que têm.

Construir uma boa relação com os seus pacientes é a única garantia que, além de retornarem, irão indicá-lo à outras pessoas sempre que possível. Assim, a qualidade das suas consultas será otimizada e sua rentabilidade aumentará, já que jamais permanecerá com a sua agenda vazia.

Agora que você já sabe tudo sobre telemedicina, quer saber mais sobre as vantagens da prescrição eletrônica de medicamentos? Confira em nosso blog!

Gostou do texto? Não gostou? Comente abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *