Como garantir o sigilo médico em atendimentos online?

Como garantir o sigilo médico em atendimentos online?

Talvez você ainda não saiba, mas existem leis que definem como os registros médicos e as informações sobre os pacientes podem ser coletadas, armazenadas e compartilhadas.

E todos os médicos ou demais profissionais que têm contato com este tipo de dado sensível estão sujeitos à essas regras!

Isso significa que os profissionais de saúde, sem justificativas plausíveis, não podem discutir as informações do paciente com ninguém sem o consentimento do mesmo.

Desta forma, as informações médicas devem ser armazenadas de modo a proteger a privacidade dos pacientes e isso independe do tipo de atendimento médico, ou seja, independe do atendimento ser online ou presencial.

Quer saber mais sobre como garantir o sigilo médico em atendimentos online? Confira o conteúdo a seguir!

Como garantir o sigilo médico em atendimentos online?

Como garantir o sigilo médico em atendimentos online?

A confidencialidade médica é um conjunto de regras que limita o acesso às informações discutidas entre uma pessoa e seus profissionais de saúde.

Com apenas algumas exceções, qualquer assunto que for discutido entre o paciente e o seu médico deve, por lei, ser mantida em sigilo entre os dois e a organização para a qual trabalham, isso também é conhecido como sigilo médico-paciente.

Quando um paciente busca por um novo médico, ele pode escolher se deseja compartilhar seus registros anteriores, dando seu consentimento aos antigos médicos, para que eles possam enviar ao seu novo médico as informações de seu prontuário.

Privacidade em uma situação de saúde significa que o que o paciente diz ao seu prestador de saúde, o que ele registra sobre o paciente, como qualquer medicamento recomendado e todas as outras informações pessoais são mantidas em sigilo.

O paciente tem o direito legal a essa privacidade e existem leis que orientam os prestadores de serviços de saúde sobre como coletar e registrar informações sobre  a saúde do paciente, como armazená-las e quando e como as usar e compartilhar.

O paciente pode dar a qualquer um de seus profissionais de saúde seu consentimento para compartilhar informações de saúde, por exemplo, como dissemos, quando ele muda de médico e deseja que seu novo médico tenha acesso ao seu histórico médico. Além disso, ele também tem o direito legal de acessar todas as suas informações de saúde.

Quais são as informações sobre o sigilo médico em atendimentos online?

Informações de saúde são quaisquer informações sobre a saúde ou deficiência de uma pessoa e quaisquer informações relacionadas a um serviço de saúde que ela recebeu ou receberá.

As informações de saúde são confidenciais e pessoais, por isso existem leis que protegem os direitos de manter a privacidade de informações de saúde.

Existem dois tipos de situações em que um serviço de saúde pode usar ou compartilhar as informações de saúde do paciente sem o seu consentimento. Esses são: quando a saúde ou a segurança do paciente ou a de outra pessoa estão seriamente ameaçadas e as informações ajudarem.

Como, por exemplo, quando o paciente está inconsciente e precisa ser atendido por paramédicos, médicos e enfermeiras que necessitam saber se ele é alérgico a algum medicamento ou quando a informação reduzirá ou evitará uma ameaça séria à saúde ou segurança pública, por exemplo, se o paciente tiver uma doença contagiosa grave e a população precisar ser avisada o quanto antes.

Existem certas isenções que podem ser argumentadas em situações de aplicação da lei e em um tribunal. Como, por exemplo, as  leis de privacidade de informações de saúde aplicam-se apenas a pessoas vivas, ou seja, elas não se aplicam uma vez que a pessoa faleceu.

Como gerenciar as informações do paciente e garantir o sigilo médico em atendimentos online?

O paciente é o proprietário de suas informações de saúde e, ignorando os profissionais necessariamente envolvidos em seus cuidados, ele decide quem pode acessá-las. Além disso, ele sempre terá o direito de acessá-las solicitando ao médico uma cópia do seu prontuário.

Por isso, os profissionais de saúde devem manter um registro médicos do paciente de forma segura e sigilosa, especialmente quando o assunto são as consultas remotas.

Por meio de sistema eficaz para a gestão de consultórios médicos, além de garantir a segurança dos dados sensíveis do paciente, também é possível garantir o sigilo médico em atendimentos online.

Você pode controlar o que entra em seu registro e quem tem permissão para acessá-lo, pode adicionar ou excluir informações ou alterar quem tem o direito de acessar o seu registro, alterando as informações online e em tempo real.

Ele também permite que você escolha quais outros médicos, hospitais ou outros prestadores de saúde podem ver e compartilhar as informações para fornecer ao paciente o  melhor atendimento possível.

Além disso, é importante ressaltar que você deve:

  • Deixar claro para os pacientes quando as informações são ou podem ser divulgadas e compartilhadas com outras pessoas envolvidas em sua saúde;
  • Certificar-se de que os pacientes estão cientes das escolhas que estão disponíveis para eles sobre como suas informações podem ser divulgadas e usadas;
  • Verificar com os pacientes para se certificar que eles não têm preocupações ou perguntas sobre como suas informações serão ser divulgadas e como podem ser usadas;
  • Responder a quaisquer perguntas pessoalmente ou direcionar os pacientes para outros que possam responder às suas perguntas da melhor forma possível;
  • Respeitar os direitos dos pacientes e ajudá-los a ter acesso aos seus registros de saúde se eles pedirem para fazer isso.

Os pacientes têm necessidades e valores diferentes, por isso, é sua responsabilidade refletir isso na forma como são tratados em termos de suas condições médicas, pessoais e circunstâncias familiares e na forma como suas informações pessoais são manipuladas.

O que é sensível para uma pessoa pode ser casualmente discutido em público por outra ou algo que pode não parecem ser sensível, pode de fato ser importantes para um indivíduo em suas circunstâncias particulares.

Quando um paciente busca por um consultório médico, ele pode optar por conceder à nova equipe o acesso aos seus registros de saúde. Ele não precisa fazer isso, mas dar seu consentimento para que possam acessar suas informações os ajudará a fornecer o melhor atendimento possível. Assim, a equipe médica deve proteger a privacidade e a confidencialidade dos pacientes.

Enquanto ele estiver sendo atendido, a equipe criará um prontuário que incluirá informações sobre todos os exames, tratamentos e medicamentos que recomendarem.

Existem situações em que uma pessoa pode ser  tratada sem o seu consentimento. Um exemplo disso é uma situação de emergência em que uma pessoa necessita de tratamento urgente.

Qual a importância de garantir o sigilo médico em atendimentos online?

O paciente pode discutir sobre sua saúde e seus cuidados de saúde com quem quiser, mas deve ter em mente que as pessoas que não são seus prestadores de saúde não estão sujeitas a regras de confidencialidade.

Se ele compartilha este tipo de informação, também é responsável por mantê-las seguras e privadas.

Mas é responsabilidade do médico certificar-se de seguir as medidas definidas abaixo para proteger as informações confidenciais as quais teve acesso privilegiado.

Sua responsabilidade começa quando você recebe as informações. Em seguida, continua quando você as usa, as armazena e as compartilha com outras pessoas. Isso se aplica a informação falada ou escrita em atendimentos online ou presenciais. Por isso: 

  • Mantenha registros precisos e relevantes;
  • Registre e use apenas as informações necessárias;
  • Acesse apenas as informações de que você precisa;
  • Mantenha informações e registros eletronicamente seguros e confidenciais;
  • Siga as orientações de seus parceiros de tecnologia ao usar dispositivos móveis, como laptops, smartphones e cartões de memória;
  • Mantenha seus nomes de usuário e senhas em segredo e mude suas senhas regularmente;
  • Siga as orientações legais antes de compartilhar ou divulgar informações, incluindo verificar quem são as pessoas que eles têm acesso às informações ao enviar, transportar ou transferir informação confidencial;
  • Torne as informações anônimas sempre que possível;
  • Mantenha e destrua informações de acordo com as diretrizes nacionais;
  • Sempre relate quebras de segurança reais e possíveis ou confidenciais como uma questão prioritária.

A lei diz que você não pode compartilhar informações sobre o paciente com sua família, amigos, colegas, conhecidos ou qualquer outra pessoa, a menos que você esteja autorizado a fazê-lo como parte de seu papel.

Lembre-se de que as organizações têm sistemas de auditoria em vigor que podem identificar quem está olhando o quê, onde e quando essa atividade ocorreu.

Utilize um software para garantir a privacidade e o sigilo médico em atendimentos online

A prática médica é cada vez mais intensa em nível de informações e, em atendimentos online, garantir o sigilo médico se tornou um desafio para muitos profissionais.

A combinação da experiência dos médicos, dos dados e dos softwares para a gestão de consultórios certamente vai melhorar a qualidade do atendimento online e ajudar a garantir o sigilo médico.

Sabemos que os médicos hoje são avaliados em termos de competência clínica e tecnológica. Além de garantir a segurança de dados sensíveis, a tecnologia pode apoiar o processo de tomada de decisão do médico com ferramentas de suporte que dependem de dados e informações internas e externas.

Para isso, é essencial que os médicos e toda a sua equipe clínica possam confiar na tecnologia dos mais atuais softwares para consultórios.

A criação de registros eletrônicos de saúde seguros a ponto de garantir que o sigilo médico em atendimentos online seja mentido exige a experiência dos médicos, uma tecnologia eficaz e a compreensão dos pacientes.
Agora que você já saber mais sobre como garantir o sigilo médico em atendimentos online, que tal entender um pouco mais sobre como implementar um software sem mudar a rotina do consultório?

Gostou do texto? Não gostou? Comente abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *