Como cumprir a Lei Geral de Proteção de Dados em consultas remotas?

Como cumprir a Lei Geral de Proteção de Dados em consultas remotas?

A mudança de paradigmas em direção ao atendimento médico remoto começou muito antes da expansão da pandemia. Mas, desde então, as diretrizes governamentais isolaram grande parte da população mundial em suas casas.

Como resultado, muitos consultórios continuaram operando por meio de uma força de trabalho remota, tornando o atendimento à distância permanente.

Essas novas circunstâncias exigem uma postura de segurança que pode ser diferente de trabalhar em consultórios físicos e centralizados. Especialmente quando se trata de manter a segurança de dados exigida pela Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD).

Se você começou a fazer consultas remotas de repente, pode ter sido assustador pensar sobre a segurança de dados. A Lei Geral de Proteção de Dados, em geral, exige que as organizações de saúde mantenham os dados pessoais privados e seguros.

Este artigo mostrará como, com algumas ações simples, você pode ajudar a garantir a conformidade com a LGPD em atendimentos à distância.

Por isso, se você quer saber mais sobre como cumprir a Lei Geral de Proteção de Dados em consultas remotas, confira o conteúdo que preparamos a seguir!

Como cumprir a Lei Geral de Proteção de Dados em consultas remotas?

Como cumprir a Lei Geral de Proteção de Dados em consultas remotas?

Muitos profissionais da saúde que não estão familiarizados com as questões de segurança de dados podem não entender como um simples deslize da parte deles pode levar a uma violação capaz de expor os dados pessoais que você deve proteger.

Essas violações de dados podem não apenas prejudicar a confiança do paciente em sua prática, mas também levar a penalidades multas previstas pela LGPD.

Uma política de segurança cibernética que instrui sobre como manter os dados de sua clínica ou consultório seguros é uma ferramenta importante na proteção de dados. Se você não tem uma, você deve fazer.

Se você tem uma política de segurança, mas não a atualizou desde que todos começaram a trabalhar em casa, esta é a hora de fazer isso!

Um bom lugar para começar é revisando a estrutura de segurança cibernética, que fornece um conjunto de diretrizes de melhores práticas para todos os estágios de identificação e mitigação de ameaças.

A estrutura cobre cinco áreas, todas as quais são componentes essenciais de uma estrutura de segurança cibernética de sucesso:

Identificação

Você deve desenvolver uma compreensão de seu ambiente para avaliar o nível de risco de segurança cibernética para sistemas, ativos, dados e recursos.

Proteção

Você deve desenvolver e implementar as regras apropriadas para limitar ou conter o impacto de um possível evento de segurança cibernética. Isso envolve o controle do acesso aos ativos digitais e físicos, mas também a responsabilidade de fornecer educação e treinamento a todos os funcionários.

Detecção

Você deve ser capaz de identificar incidentes de segurança cibernética rapidamente. Isso significa usar um sistema para a gestão de consultórios que pode realizar monitoramento contínuo para detectar atividades incomuns e outras ameaças à continuidade operacional.

Resposta

Se ocorrer um ataque cibernético, os consultórios devem ter a capacidade de conter o impacto. Isso significa que você precisará ter um plano de resposta em vigor. Depois de resolver seu incidente de segurança, você precisará atualizar seu plano de resposta com todas as lições aprendidas.

Recuperação

Finalmente, você deve ter um plano para restaurar todos os recursos ou serviços que foram afetados por incidentes de segurança cibernética.

Sua política de segurança não precisa ser um documento complicado, ele deve abranger as razões pelas quais existe em primeiro lugar e, em seguida, expor, em termos fáceis de entender, os protocolos de segurança exatos que você e seus colegas de trabalho devem seguir.

Se estiverem confusos, eles podem fazer perguntas, mas ninguém está isento da política de segurança!

Garanta a proteção de dados em quaisquer circunstâncias

Essencialmente, os dados pessoais devem ser protegidos tanto em trânsito como em repouso. Os dados estão em trânsito praticamente sempre que alguém os acessa.

A passagem de dados dos servidores deste site para o seu dispositivo é um exemplo de dados em trânsito. Por outro lado, dados a descanso se referem aos dados armazenados, como no disco rígido do seu dispositivo ou em uma unidade flash USB.

As duas chaves para manter a proteção de dados quando suas equipes estão trabalhando remotamente são a criptografia e o controle de acesso. Um software para a gestão de consultórios é capaz de eliminar processos e garantir a integridade dos dados.

Ofereça segurança remota por meio da criptografia

Como dissemos, os dados confidenciais de seu consultório devem ser criptografados em trânsito e em repouso.

A LGPD menciona explicitamente a criptografia ao discutir as medidas de segurança técnica e organizacional apropriadas. A criptografia é importante porque se seus dados estiverem criptografados e houver uma violação, os dados ficarão ilegíveis e inúteis.

Manter os dados pessoais confidenciais criptografados é muito mais fácil em um consultório onde a equipe pode manter a segurança do servidor e monitorar sua rede por meio da tecnologia.

A ideia é simples, os hackers não são o único perigo para seus dados. Laptops e outros dispositivos móveis são perdidos ou roubados o tempo todo. Um software com criptografia bloqueia arquivos e pastas para que usuários não autorizados não possam visualizar os dados, mesmo que consigam acessar o sistema.

Garanta o controle de acesso e conexões seguras

Você deve revisar quem em seu consultório tem acesso a dados confidenciais. Os funcionários devem ter acesso regular apenas aos dados que precisam para concluir suas tarefas diárias.

Limitar a quantidade de dados que cada indivíduo pode acessar atenua os danos que o lapso de segurança de um funcionário pode causar.

Como um lembrete, usar WiFi público sem VPN não é aconselhável, especialmente se seu trabalho lida com dados confidenciais. Essas redes podem ser facilmente monitoradas por outras pessoas. Seus funcionários devem usar uma VPN confiável se estiverem trabalhando em casa, apenas por segurança.

Ao utilizar uma ferramenta capaz de criptografar seus dados, limitar o acesso de cada funcionário e usar uma VPN para controlar o acesso aos servidores, você diminui significativamente a probabilidade de haver uma violação de dados.

Ofereça treinamento aos seus funcionários

O erro humano é uma das principais causas de violações de dados e a segurança cibernética é difícil quando todos estão em um consultório onde a rede não possui o controle adequado.

Depender de seus funcionários para aprender e dominar imediatamente todas as novas políticas e ferramentas de segurança que você implementa enquanto trabalha não será eficaz.

Você deve planejar sessões de treinamento sobre a nova política com todo o consultório. Caso a sua organização seja de grande porte, uma equipe deve treinar seus funcionários, em pequenos grupos, sobre as novas ferramentas e processos de segurança que eles usarão em seu trabalho diário.

Seus funcionários ainda precisarão de ajuda mesmo depois de serem treinados sobre como usar essas novas ferramentas, por isso, a sua equipe deve sempre ter alguém de prontidão para responder às perguntas. Se possível, ele também deve agendar chamadas de vídeo curtas para acompanhamento de todos os seus funcionários, ou seja, para avaliar se todos estão seguindo sua nova política de segurança.

Colocando em prática nossas sugestões, você pode aliviar o estresse do trabalho remoto. Estas são as etapas de segurança de dados que podem ajudá-lo a evitar as multas e penalidades previstas na LGPD.

Resumindo em quatro etapas, as coisas mais importantes que você pode fazer para se manter em conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) enquanto realiza consultas remotas, são:

  • Atualizar sua política de segurança para refletir a nova realidade do atendimento remoto;
  • Treinar seus funcionários e se certificar que eles estejam prontos para apoiar as consultas à distância;
  • Manter os dados criptografados por meio de um software confiável para a gestão de consultórios;
  • Limitar o acesso aos dados confidenciais dos pacientes e manter suas conexões seguras por meio de uma ferramenta especializada.

Agora que você já sabe mais sobre como cumprir a Lei Geral de Proteção de Dados em consultas remotas, que tal entender um pouco mais sobre como implementar um software sem mudar a rotina do consultório?

Gostou do texto? Não gostou? Comente abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *