Como ter mais eficiência e organização no seu receituário?

O receituário médico é a compilação de todas as condutas terapêuticas indicadas pelo profissional. Nele se enquadram as informações medicamentosas e as principais orientações clínicas sobre o tratamento.

A fim de ter eficiência, é preciso que esse documento seja legível, objetivo e esclarecedor para o paciente. Além disso, deve fornecer os dados necessários para a aquisição dos produtos farmacêuticos.

Quer saber como ter mais eficiência e organização no receituário médico? Então, continue lendo e veja as nossas dicas!

Busque informações medicamentosas relevantes

Os profissionais clínicos que atendem pacientes em consultório podem utilizar a versão impressa ou a eletrônica do receituário médico. No primeiro caso, os prescritores devem preencher manualmente as orientações medicamentosas.

Devido aos problemas decorrentes de ilegibilidade e rasuras no receituário em papel, muitos gestores clínicos implantaram o receituário eletrônico para os consultórios das diversas especialidades médicas.

Nesse sentido, o recurso disponível deve conter informações relevantes, tais como: as principais denominações dos medicamentos e permitir a impressão das prescrição com cabeçalho personalizado

Classifique os aspectos clínicos importantes

O receituário médico, ao ser transcrito ou impresso, precisa conter dados sobre condições especiais dos pacientes. Nesse contexto, deve ser enfatizada a história prévia de alergias medicamentosas ou alimentares.

Também é crucial relatar as características do peso do paciente e outras percepções que foram armazenadas nos prontuários eletrônicos, como filmagens, áudios ou fotografias, que auxiliarão no aviamento das prescrições.

Essas informações inseridas nos softwares possibilitam identificar a evolução do tratamento do paciente. Atualmente, alguns especialistas clínicos classificam essas ferramentas como essenciais para o bom desempenho de suas atividades.

Introduza informações obrigatórias

Todo receituário médico deve conter o nome completo do paciente, endereço residencial e a data da prescrição, além das informações do médico prescritor, como o registro no conselho de classe e principais formas de contato (telefone, e-mails, aplicativos de mensagem etc.).

Ademais, deve conter a denominação correta do medicamento e colocar as opções da forma genérica, caso tenha. A dosagem adequada, o período de utilização e as principais orientações quanto ao uso também são essenciais.

Após finalizar o receituário, o médico deve se certificar de que todas as questões necessárias foram anotadas. Essa situação permite uma avaliação completa do paciente e garante uma intervenção clínica efetiva.

Faça orientações adequadas ao paciente

Ao entregar a prescrição médica ao paciente, os profissionais devem verificar se não houve dúvidas sobre o tratamento. Isso é imprescindível a fim de garantir que ele será seguido corretamente.

Nesse momento, os médicos devem excluir qualquer juízo de valor e acolher o paciente de forma humanizada, evitando situações que deixem o indivíduo constrangido. Frequentemente, é preciso fazer analogias de forma didática para ajudar na compreensão da terapia.

A humanização é vista atualmente como uma estratégia de sensibilização do paciente, que ajuda a fortalecer a relação terapêutica entre os envolvidos e mostra-se eficiente em longo prazo.

O receituário médico é a finalização de um longo trabalho de anamnese e escolha da melhor opção terapêutica para o paciente. Esse documento apresenta caráter legal e, portanto, deve conter informações objetivas e relevantes ao contexto clinico. Sendo assim, a organização virtual desse documento por meio de plataformas trará benefício para os médicos e pacientes.

E você, como organiza seu receituário médico? Gostou das informações? Então, compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais!

Gostou do texto? Não gostou? Comente abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *