Como posso fazer telemedicina

Como posso fazer telemedicina?

Muitos aspectos de nossas vidas vêm sendo transformados por meio do avanço das tecnologias – e com o setor da saúde não seria diferente!

Até pouco tempo, realizar consultas médicas à distância parecia ser algo inimaginável, mas hoje já é uma realidade em diversos países do mundo, inclusive no Brasil.

Apesar da telemedicina ser uma tendência mundial e já estar regulamentada no país – com algumas limitações -, somente após a flexibilização anunciada para o auxílio do combate à pandemia do novo coronavírus a telemedicina se popularizou por aqui.

Com o aumento de sua dimensão e tendo os seus benefícios reconhecidos, a telemedicina está revolucionando o atendimento médico ao oferecer acesso às consultas e respostas rápidas aos pacientes que estão tendo que lidar com enfermidades – relacionadas ou não com a covid-19.

Dado o contexto, se você está se perguntando “como posso fazer telemedicina?”. Confira o conteúdo que preparamos para você! 

O que é a telemedicina?

O que é a telemedicina?

Como você já deve saber, a telemedicina refere-se ao atendimento médico realizado à distância. O que talvez você ainda não saiba é que esta modalidade de atendimento teve início em Israel, na década de 1950. 

Entretanto, graças aos avanços tecnológicos e a acessibilidade aos dispositivos móveis e à internet em escala global, a telemedicina alcançou patamares superiores.

Por meio de equipamentos cada vez mais modernos, rapidez de conexão e meios de garantir a segurança dos dados sensíveis dos pacientes, o atendimento médico à distância vem conquistando cada vez mais adeptos – seja por quem apenas busca ou necessita deste tipo de atendimento.

Além dos evidentes benefícios percebidos pelos pacientes, a telemedicina pode oferecer muitas vantagens aos profissionais da saúde que utilizam este recurso.

Algumas delas são: a segurança e a facilidade que os médicos encontram para acessar documentos, prontuários eletrônicos e banco de dados de qualquer lugar por meio de dispositivos eletrônicos com acesso à internet.

A oportunidade de realizar atendimentos à distância também permite que a troca de informações seja muito mais ampla e dinâmica entre instituições de saúde, médicos e pacientes. Além disso, sabemos que a velocidade de atendimento, especialmente em casos de emergência, é um diferencial relevante a ponto de salvar vidas.

Outro benefício muito debatido entre os médicos e demais profissionais da saúde é a oportunidade maior de interação entre eles, tornando possível o debate de ideias entre especialistas das mais diversas localidades do mundo.

Mais uma aplicação bastante comum da telemedicina é o acompanhamento de pacientes com doenças crônicas ou idosos. Devido ao fato da orientação médica à distância não exigir o deslocamento, as chances de que pacientes com estas características sigam o tratamento de forma mais engajada é muito maior.

Uma das maiores vantagens da telemedicina é poder oferecer aos pacientes mais oportunidades de escolhas, já que por meio dela, é possível agendar consultas com especialistas de quaisquer localidades – descentralizando assim o atendimento médico.

No Brasil, por exemplo, a cidade de São Paulo é o centro urbano com mais oportunidades de acesso aos especialistas e por meio da telemedicina pacientes de quaisquer outras localidades podem ter acesso à esses profissionais da saúde. 

Desta forma, ao transpor barreiras geográficas e, em alguns casos, sociais e econômicas, a telemedicina torna o acesso à saúde de qualidade muito mais democrático.

Como funciona a telemedicina no Brasil?

Como funciona a telemedicina no Brasil?

Amplamente difundida pelo mundo, especialmente em países como os Estados Unidos e Canadá, a telemedicina começa a se popularizar no Brasil. Especialmente após a flexibilização da prática por parte do Ministério da Saúde durante a pandemia causada pelo novo coronavírus em 2020.

Inicialmente, o Brasil adotou os critérios internacionais de regulamentação, mas, com a expansão da tecnologia novas regras passaram a ser aplicadas de forma exclusiva no país.

Tendo a telemedicina estabelecida como o exercício da prática médica por meio do uso de tecnologias para fins assistenciais, educacionais, de pesquisa, prevenção de doenças e promoção da saúde, os médicos brasileiros podem realizar consultas à distância, conforme a Resolução nº 2.227/18, do Conselho Federal de Medicina (CFM).

Considerando as recentes atualizações legislativas sobre o assunto, as principais formas de práticas da telemedicina são:

A teleconsulta

De forma geral, a teleconsulta é a consulta médica realizada remotamente, por meio do uso de tecnologias, sendo que pacientes e médicos estarão localizados em diferentes espaços geográficos.

Havendo necessidade de prescrição médica à distância, a resolução enfatiza que o documento deverá conter a identificação do médico – incluindo nome, número do registro e endereço – e a identificação do paciente, além de, claro, da data, do horário e da assinatura digital do médico.

O telediagnóstico

O telediagnóstico nada mais é do que o parecer sobre os exames e a emissão de laudos por meio de imagens ou outros formatos de arquivos, enviados através da internet.

Este procedimento só pode ser realizado por médicos com registro de qualificação de especialista na área relacionada ao procedimento.

A teleinterconsulta

A teleinterconsulta acontece quando há troca de opiniões e informações entre os médicos, independente da presença do paciente durante a chamada, com o objetivo de promover o melhor diagnóstico ou terapia – seja clínica ou cirúrgica.

A teletrigem

A teletriagem ocorre quando o médico avalia, à distância, o estado clínico do paciente – conforme os sintomas apresentados – para, a partir daí definir e encaminhar o paciente ao tipo de assistência necessária.

O telemonitoramento

O telemonitoramento, como o termo sugere, trata-se do acompanhamento à distância do estado de saúde e quadro clínico de pacientes. Este tipo de prática é extremamente benéfica, especialmente, para os pacientes que possuem dificuldades ou impedimentos sobre as consultas presenciais. 

Como fazer telemedicina?

Como fazer telemedicina?

Para entender como fazer telemedicina é preciso ter em mente alguns pontos essenciais. Confira a seguir quais são eles!

Garanta a segurança das informações

A legislação estabelece que para praticar a telemedicina, é essencial garantir a segurança dos dados sensíveis dos pacientes, como as informações pessoais, os laudos, os exames e os demais detalhes clínicos.

Por isso, ao trafegar e atender através da internet, é essencial garantir uma infraestrutura que assegure a integridade, o manuseio, a confidencialidade, a privacidade e o sigilo das informações de forma profissional.

Garantir tudo isso só é possível por meio do uso de uma tecnologia adequada.

Adote uma tecnologia confiável

Conforme dissemos anteriormente, para realizar atendimentos por meio da telemedicina, é essencial garantir a segurança dos dados sensíveis do paciente – e o único modo de assegurar a integridade destas informações é por meio da adoção de uma tecnologia confiável.

Além disso, os softwares de gerenciamento médico contam com a integração de todos os setores de uma clínica de forma segura. 

Os benefícios percebidos por meio do uso de uma tecnologia eficiente são muitos e vão além da garantia de segurança, entre eles estão o acesso rápido às informações de saúde dos pacientes e a possibilidade de ter um único banco de dados com todos os registros essenciais para a realização de um bom atendimento.

Diante deste contexto, não há dúvidas sobre a importância da presença tecnológica na área médica e sobre a relevância do atendimento médico por meio da telemedicina.

Gostou do nosso conteúdo sobre “como posso fazer telemedicina?”.
Então saiba agora como escolher o melhor sistema para a prática da telemedicina!

Gostou do texto? Não gostou? Comente abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *